Pages

Subscribe:

Labels

19 de out de 2009

HISTÓRIA.....Uma viagem com muitas mães


Uma viagem com muitas mães - Nye Ribeiro

- Estou tonta! Quem está me levando? – perguntou a sementinha?
- Sou eu, a Mãe Ventania. Não precisa ter medo. Vamos fazer uma longa viagem...
Viajaram, viajaram e depois, quando pararam, a sementinha ainda tonta perguntou:

- Onde estou? Que lugar é esse? Não há ninguém por aí?
- Olhe para cima. Eu estou aqui.
A sementinha olhou e viu uma grande árvore, cheia de galhos esparramados.

- Eu sou a mãe árvore, disse a Paineira. Aqui nos meus galhos á abrigo para os passarinhos, para as cigarras, as joaninhas, as lagartas e para todos que aqui chegarem.
Venha, suba, sempre cabe mais um.
- Ah, se eu tivesse pernas para andar, ou asas para voar... pensou a sementinha. E continuou ali mesmo.
- Não tem importância, disse a Mãe Árvore. Posso também dar um pouco da minha sombra para você descansar e dormir. Dorme sementinha, dorme que eu fico aqui vigiando seu sono.

Mais tarde, a Mãe Ventania veio buscá-la para continuarem a viagem.



Logo adiante a sementinha ouviu algumas vozes cantando.
Como pode um peixe vivo
Viver fora da água fria...
- Quem está cantando? – perguntou.
- São os peixinhos – falou a Mãe Correnteza que passava por ali.
Vou levá-los para um passeio.
Você quer ir também?
- Bem que eu gostaria, Mãe Correnteza. Mas eu não sei nadar.
E ficou ali olhando os peixinhos, felizes, dentro da água.
Eram de muitas cores e tamanhos diferentes.

A noite já estava chegando. A sementinha começou a ficar assustada.
- Eu não gosto de escuro – falou.
E num instante a Mãe Noite trouxe a lua e uma porção de estrelas brilhantes.
- Não precisa ter medo, sementinha – disse a Mãe Noite. A lua vai iluminar o céu e as estrelinhas vão ficar brilhando a noite inteira.
A sementinha ficou contente e não teve medo.

Na manhã seguinte, a Mãe Ventania veio buscá-la novamente para seguirem viagem.
O sol brilhava bem forte. O dia estava quente e a sementinha começou a ficar com sede.
De repente, começaram a cair do céu algumas gotas de água bem fresquinha.
- Quem são vocês? De onde vêm? – perguntou a sementinha.
- Daqui de cima – falou a Mãe Nuvem. Desçam, gotinhas de chuva. Vão molhar a terra, as sementinhas...para que ninguém tenha sede.
- Que delícia – falou a sementinha, bebendo a água da chuva. Obrigada, Mãe Nuvem. Obrigada, gotinhas de chuva.

- Pronto. Chegamos! Disse a Mãe Ventania. Nossa viagem termina aqui.
- E agora, o que vai acontecer? – perguntou a sementinha.
- Agora é só ter paciência e esperar. Aproveite para dormir um sono bem gostoso. Adeus! Eu já vou indo.
Num instante, a sementinha adormeceu. O tempo foi passando, passando...

Mais tarde, ao acordar, a sementinha sentiu um calor gostoso e um cheiro de comida. Percebeu que estava em um lugar escuro, mas não sentiu medo.
- Como é bom estar aqui. Que lugar é este?
- Você não me conhecida ainda, sementinha. Eu sou a Mãe Terra e você está dentro de mim. Agora, estarei cuidando de você. Aqui você não vai sentir, nem sede, nem frio, nem calor.
Terá tudo o que precisar para que um dia...
Mas a sementinha nem acabou de ouvir a Mãe Terra falar. Estava com tanto sono que dormiu novamente.
Ela não sabia que estava começando a fazer outra viagem. A viagem para uma nova vida. Ao acordar não seria mais uma sementinha.

Muitos dias e muitas noites se passaram.
Numa manhã de sol a sementinha acordou.
Abriu os olhos e percebeu que estava diferente.
A casquinha que a cobria se partiu, e ela soltou algumas raízes que se firmaram na terra.
Um brotinho verde começou a brotar. Do lado de fora tudo era claro e bonito. O sol brilhava iluminando o dia. Suas primeiras folhinhas, felizes saudaram aquela linda manhã:
- Bom dia!

Foi nessa hora que a sementinha se lembrou com carinho de todas as mães que havia conhecido no caminho: a Mãe Ventania, a Mãe Árvore, a Mãe Correnteza, a Mãe Noite, a Mãe Nuvem, Mãe Terra...todas essas mães que, juntas, formaram a grande Mãe Natureza.
- Foram elas, as minhas mães, que cuidaram de mim para que eu pudesse brotar. Agora já sou uma planta - disse toda orgulhosa. Estou pronta para começar a crescer nessa minha nova vida!

A sementinha foi crescendo e se tornou uma grande árvore, mãe de muitas outras Sementinhas. Um dia uma semente, sua filhinha, se desprendeu lá do alto e foi rolando, rolando até cair no chão.
- Estou tonta, quem está me levando? – perguntou.

Agora é a sua vez de contar esta história.

1 comentários:

ramanarosa disse...

Eu amo a natureza poriso amo esta historia !e ela e linda quando eu estava estundando a natureza ouvi esta historia e fiquei encantada!uma semente naçe asim so que ela nao fala essa historia e bem bonita e estuda sobre as mães que trazem e fazem a sementinha naçer!

Postar um comentário